Gays - Novidades na republica. (4ª parte) - Contos Eróticos

Contos Eroticos

                   

Pesquisa Rápida


Novidades na republica. (4ª parte)

Ver todos os Contos Eróticos de mrpr

Referência (ID): 1377
Novidades na republica. (4ª parte)


Acordei primeiro que Alberto coloquei-me de lado e fiquei o admirando dormir passando a mão suavemente por cima do seu corpo quase encostando sentindo seus pelos se arrepiarem e o calorzinho que sua pele emitia. Sem pressa seus olhos se abriram revelando seus belos olhos castanhos e um sorriso acompanhado de um bocejo.
_ Dormiu bem?
_ Muito e você?
_ Como um anjo! Kkkk
_ Um anjo devasso ne?
_ Pode ser kkkkk
_ Os meninos já foram?
_ Não sei.
_ Que horas são?
_ Não olhei.
_ Garoto levanta! Cadê meu celular, não coloquei para despertar que bosta!
Alberto passou por cima de mim pegou seu celular e exclamou:
_ Merda! Vou chegar atrasado.
Colocou seus chinelos pegou uma toalha foi saindo do quarto então olhou para mim e disse:
_ Garoto esta surdo? Estamos atrasados levanta!
Depois de alguns minutos finalmente levantei, estava sem vontade alguma de ir para a faculdade muito menos trabalhar por mim eu ficaria deitado na cama com Alberto o dia todo. Peguei uma toalha e fui para o banheiro, por sorte na pressa Alberto não trancou a porta então eu entrei.
_ Já estou acabando, mas como estamos atrasados se quiser pode ir escovando os dentes.
Escovei os dentes e fui em direção a Alberto que estava de costas para mim. E o agarrei beijando sua nuca o encoxando.
_ O que esta fazendo garoto? Acordou num fogo hem?
_ Não gostou?
_ Se eu não estivesse atrasado para o trabalho iria te mostrar como é bom transar no chuveiro.
_ Porque não mostra?
_ Acabei de dizer que estou atrasado Mateus, na verdade nos estamos!
_ Um dia so não vai matar ninguém vai?!
_ Olha ai o nerd pedindo para faltar kkkk . Tentadora a proposta, mas não posso tenho aulas importantes e já andei atrasando no trabalho a perigo.
_ A perigo estou eu da uma olhada.
Alberto que já estava de frente para mim olhou para baixo deu uma acariciado no meu pau e disse.
_ Mais tarde te mostro umas coisinhas kkkkk
Me deu um selinho na boca e saiu do chuveiro com um sorriso malicioso. Meu pau estava trincando de tão duro babando de tesão, tive que bater uma antes de terminar meu banho e sai voado para o trabalho. Na faculdade custei a me concentrar na verdade o dia todo foi complicado sempre pensando nos beijos, na pele a bundinha deliciosa de Alberto e claro fui bombardeado de perguntas no trabalho e na facu do porque eu estava tão distraído e com aquele sorriso bobo na cara, mas não podia falar do motivo, mesmo assim sempre diziam que deveria ser por conta de uma garota, mal sabiam eles que minha “garota” tinha era pinto.
_Ae Milton o Alberto já chegou?
_ Alberto? Não. O que ele fez agora?
_ Nada.
_ Como nada? Vocês são como cão e gato sempre que você procura por ele é porque ele quebrou algo, pegou algo, escondeu algo, usou algo agora por “nada” é a primeira vez.
_ Há vai te catar Milton!
Disse eu indo para meu quarto, mas mesmo de la deu para ouvir um pouco da conversa de Milton com Leonardo, ate eu por meus fones.
_ Perdeu a noção do perigo garoto? Você esta vendo isso Leo? Depois leva um soco ai e vem dizer que não sabe o por que.
_ Estranho ne? Nem parece o Mateus.
_ Sabe o que é isso? Convivência! Esta ficando muito junto com o Alberto e querendo ou não esta pegando as manias dele, daqui a pouco vai sair por ai dando a bunda, escuta só!
_ kkkk Você é doido cara!
_ E ai beleza?
_ Beleza! Demorou.
Estava fazendo um trabalho na facu. Vamos jantar que o Milton já terminou o jantar.
_ Hummm olha ai Leo o quanto os dois estão “amiguinhos”.
Disse Milton.
_ Nem comecem que hoje meu dia foi punk! Cheguei atrasado no trabalho e fiquei ate agora na faculdade fazendo trabalho então me poupem!
_ Hummmm estressada!
Disseram Milton e Leonardo em coro. Mas não foram rebatidos por Alberto que apenas deu uma olhada fulminante nos dois e voltou a comer.
Estávamos assistindo tv então bocejei espreguicei e disse que iria dormir e perguntei se Alberto não estava com sono, Milton e Leonardo deram uma olhada para mim e depois pra Alberto e deram um sorrisinho safado então tentei consertar minha rata dizendo que a pergunta se dava porque era chato acordar com a luz no rosto logo após conseguir pegar no sono. Alberto disse que iria depois, mas para eu não me preocupar que não iria acender a luz do quarto.
Fui para meu quarto, mas na verdade não estava com sono e sim tesão, por sorte Alberto não demorou muito e assim que ele deitou em sua cama pensando que eu já estava dormindo eu fui para a cama dele e comecei a beijar seu corpo.
_ Não estava dormindo Mateus?
_ Estava te esperando gostoso!
_ Safadinho!
Alberto correspondeu meus beijos veio por cima de mim e enquanto rebolava com meu cacete em seu rego, beijava meu rosto, pescoço, queixo, peito e aquilo era muito bom.
_ Disse que iria me mostrar umas coisinhas, estou ansioso.
_ Já volto!
Alberto pegou o tubo de lubrificante e preservativos e voltou me pediu par ficar de bunda para cima pensei um pouco, mas me lembrei das linguadas no rabo que tinha simplesmente ido a loucura no dia anterior, então me virei e logo Alberto veio abrindo minhas nádegas e lambendo meu rego, meu cu piscava feito luzes natalinas sentindo aquela língua molhada e quente o invadir me fazendo gemer abafado no travesseiro.
De repente eu sinto algo geladinho ser esparramado em meu rego olhei para trás tentando ver o que estava acontecendo.
_ Calma! Relaxa! Que sei que você vai gostar.
Alberto depois de passar varias vezes o dedo de cima para baixo em todo meu rego, intensificou movimentos circulares em volta do meu orifício anal, sem penetra lo, às vezes colocava o dedo bem no buraquinho e ficava como se posse uma tampa, tampando e destampando aquilo ia me crescendo um calor por dentro inexplicável. Logo a pontinha do dedo começou a adentrar meu buraquinho, mas mal entra e já saia fazendo voltas pelo entorno a pressão exercida pelo dedo de Alberto era cada vez maior e cada vez seu dedo penetrava mais fundo ate entrar todo ele e Alberto brincar com movimentos variados de vai e vem e circulares dentro do meu rabo com um depois dois chegando a três dedos rabo a dentro.
Quando ele disse que tinha três dedos enfiados no meu cu eu não acreditei pois eu era virgem e bem apertado. Alberto então colou seu peito em minhas costas a boca em meu ouvido e começou a perguntar se eu estava gostando, me chamar de puto safado e varias outras putarias em meu ouvido e aquela voz, aquele calorzinho de seu hálito junto com o calor do seu corpo colado no meu me levava a loucura tanto que nem dor senti ao ser penetrado o safado me distraiu eficazmente me possuindo com seu cacetinho quentinho e gostoso, logo eu o sentia totalmente dentro de mim e o ritmo das investidas cada vez mais rápido.
Era algo novo para mim ser penetrado e fizemos em varias posições, nossos corpos suados e pregando devido aos nossos fluidos, calor dos nossos corpos, beijos e penetrações me faziam sentir coisas nunca antes sentidas e estava muito bom. Meu pau duro eu louco para gozar, mas não queria fazer isso sendo penetrado, eu queria meter naquele cuzinho quente e gozar la dentro e foi o que fiz. Encapei meu pau e meti gostoso em Alberto em minha posição preferida ele de quatro na cama e eu em pe no chão. Meti sem do vigorosamente fazendo o encontro de nossos corpos produzir barulhos que me davam ainda mais tesão ate que eu explodi em uma gozo forte e delicioso deitei na cama de Alberto que veio por cima de mim e gozou em meu peito e espalhou sua porra em meu corpo.
Alberto saiu de cima pegou seu celular e programou o despertador , me mandou ir para minha cama, mas eu disse que não, queria dormir agarradinho com ele. Alberto permitiu e passamos a noite assim de conchinha sentindo um o calor do outro.
Passamos mais duas semanas assim, praticamente transando todas as noites ate que aconteceu...
Eu estava gozando no rabo de Alberto com ele de frente para mim, na posição de frango assado, seu pau estava duro babando em minha barriga, olhei no fundo dos seus olhos castanhos e disse:
_ Eu te amo!
Mal acabei de dizer e enchi o cu de Alberto de porra.
_ Delicia!
Disse ele.
_ Acho que não entendeu eu disse que te amo.
_ Você é muito carinhoso e eu gosto disso.
_ Não, eu falo serio estou apaixonado por você, não consigo te tirar da cabeça o dia todo, fico ansioso por estes nossos momentos juntos, se eu pudesse ficaria o dia todo só com você nessa cama.
Alberto mudou o semblante, seu pau murchou na hora, me empurrou de cima dele e disse para eu ir para minha cama.
_ Mas você não gozou.
_ Pra sua cama Mateus!
_ Mas porque?

Continua...

Autor: Mrpr2

Gostando do conto? O que será que vai acontecer agora hem? Não percam os próximos capítulos para descobrir e você já passou por essa situação? O que acha que deveria acontecer? Comente, vote, participe!
Contato:
é necessário estar logado para enviar uma mensagem ao autor do Conto Erótico. Registe-se, é gratuito.

Comentar


Código de segurança
Actualizar

Caminho:

Últimos Comentários

  • espectacular Catarina, continuam e não p... Mais...
  • Thanks very nice blog! My web site; bigg... Mais...
  • I every time used to read post in news p... Mais...
  • Gostei do seu relato desejo saber se voc... Mais...
  • Thanks really helpful. Will certainly sh... Mais...
  • Por favor entre em contato comigo, achei... Mais...
  • I see your site needs some unique & fres... Mais...
  • Nossa, que conto bem contado, bem detalh... Mais...
  • I see your site needs some fresh content... Mais...
  • Adoro esses contos, mais sou casado e m... Mais...

Contos Eróticos Picantes no seu Email

Insira o seu Email:

Patrocinado por FeedBurner