Gays - O namorado da minha irmã 2 - Contos Eróticos

Contos Eroticos

                   

Pesquisa Rápida


O namorado da minha irmã 2


Referência (ID): 1535
Depois que fiz sexo com o namorado da minha irmã foi impossível não bater punheta pensando nele nos dias seguintes, mas, depois daquela terça ou quarta (não me lembro bem) com ele, na sexta da mesma semana ele chegou mais cedo que o normal, 10 horas da manhã, para esperar minha irmã chegar para o almoço. Mas, ela só chegaria dali a duas horas, o que me deixou ainda mais com uma pulga atrás da orelha.
Abri a porta e então fui pro meu quarto enquanto ele ia pra cozinha tomar aguá. No meu quarto eu sentei na cadeira pra jogar LOL e deixei a porta aberta, propositalmente. Não sabia se ele viria mas, não custava nada tentar. Esperei mais ou menos 10 minutos e ele não tinha ido no meu quarto ainda, então decidi ir beber água. Demorei um tempão para tomar coragem e então fui.
Assim que desci a escada esperava ver ele na sala, mas, ele não estava lá. Passei pelo corredor olhando para baixo da porta do banheiro para ver se a luz estava acessa e não, não estava, então, quando olhei para frente lá estava ele, na cozinha. Ele estava na mesa, sentado, olhando fixamente para o copo de água vazio.
- Que susto - ele disse assim que olhei para ele e ele saiu dos seus pensamentos.
- Desculpa. Vim pegar água. Veio mais cedo por quê? Amanda vai chegar mais cedo? - perguntei dando de desentendido.
- Não, nem queria que ela chegasse - ele disse isso meio sem jeito, mesmo não sendo do tipo tímido, o que me deixou achando que ele estava sem jeito de começar.
- Eu vou começar uma partida de LOL agora, quer olhar, igual aquele dia?
- Ah, pode indo, vou lá depois.
Subi para meu quarto já pensando que ele não iria. A vergonha era tanta que parecia que o ar não estava entrando mesmo eu abrindo a boca e sugando todo o ar que eu podia. Nem queria jogar mas, comecei uma partida para quando ele chegar eu não esta sem fazer nada. A partida é rápida, termino em alguns minutos e ele não aparece, então, quando eu ia começar uma nova ele entra no meu quarto.
Confeso que foi uma surpresa. Já tinha quase meia hora que ele tinha chego em casa e eu não esperava que fosse rolar algo, mas, ele estava no meu quarto, já era muita coisa.
- Vai começar agora?
- Já ganhei uma, foi rápido
- Outra coisa também foi rápido pra caralho. Tu não quer mais, Victor?
Eu nem sabia o que falar. Na verdade, na hora, nem sabia se ele tava falando na mesma coisa que eu tava pensando.
- Me ajuda aqui na partida, peguei um campeão que não sou muito bom - Depois que eu falei isso ele puxou a tomada do computador e puxou minha cadeira para perto da dele.
O ar quase não entrava mais quando ele tirou a blusa dele e abaixou suas calças. Ele deitou na minha cama e eu nem estava mais olhando para ele, com vergonha, então ele me puxou pelo braço e me deitou junto a ele. Ficou um tempo olhando para mim e eu olhando para ele quase sem ar, então, ele começou a lamber meu rosto e a morder. Isso é muito excitante. Eu adoro isso e também lambia ele quando dava. Era animal e grosso o modo com que ele me mordia. Então ele vai tirando minha calça aos poucos e da um sorriso de lado antes de descer sua cabeça em encontro a minha cueca.
- Dessa vez eu mamo para você se sentir um pouco homem.
Ele lambe a cueca um pouco e então tira ela e começa a lamber minha pica. Ele lambe muito bem. Além de para cima e para baixo ele lambia as minhas bolas e envolta do pênis, nos pelos. Depois de quase 10 minutos lambendo ele volta para minha boca e me beija cheio de pelo de saco na boca. É muito gosto.
Então ele me vira de costas e começa a bater o volume da cueca dele na minha bunda com muita força, chocando seu corpo contra o meu. Eu gemia baixo por ainda estar muito timido e ele lambia minha orelha e meu pescoço tentando me amolecer. Ele faz aquilo de um jeito tão gostoso que me derreto em pouco tempo e fico todo mole, entregando meu corpo para aquele homem perfeito. Ele tira o saco para fato e esfrega um pouco na minha bunda, então...
- Pera que hoje eu trouxe uma coisa para você.
Ele desceu e pegue a mochila dele que tava encostada na escada. Já no meu quarto ele tira uma camisinha e lubrificante e logo começa os preparativos. Eu nunca tinha dado o cú e sabia que aquele pau grosso da porra ia deixar tudo dolorido então, pedi a ele para ir lentamente até eu me acostumar. Depois de se preparar ele me beija algumas vezes e sussurra no meu ouvido:
- Lento é pros viados.
Ele enfia o penis com tudo no meu cu pequeno e nisso já começa a estourar. Ele não tem dó nem piedade, arregaça meu cú como ator pornô e não para mesmo eu pedindo para ele diminuir a velocidade. Ele coloca a mão na minha boca e mete cada vez mais forte enquanto me xingar de todo tipo de nome possivel.
Ele enfia tão rápido que acho que ele vai gozar logo logo, mas, o puto aguenta muito tempo. Então, ainda me fodendo, só que mais lentamente, ele puxa a mochila e fala que tem outro presentinho para mim. Ele tira um penis de borracha da mochila e me manda morder o travesseiro por que penetração dupla doia.
Eu, com medo já que meu cú tava ardendo pra porra, virei com a barriga para cima para tentar impedir ele, mas, foi inevitavel. Ele é muito gostoso. Aquele olho, pele, cabelo e musculos me deixava todo sem jeito de falar não, então, ele me puxa para perto e levanta minha minha do jeito que eu estava mesmo e enfia teu penis. Ele metia muito rapido para arregaçar e só deu tregoa para enfiar o outro penis. Ele forçava o penis de borracha para entrar junto ao dele mas foi dificil entrar, meu cu ainda tava apertadinho.
Demorou um tempo mais os dois conseguiram entrar no meu cu. Eu soltei algumas lagrimas mas ele ria toda hora que eu fazia cara feia e me chamava de puta medrosa ou vadia covarde, então fui deixando.
Dois penis dentro de mim fizeram eu gozar sem nem precisar me masturba. Doeu muito mais depois de um tempo o prazer venceu a dor.
Ele fez aquilo intercalando entre penetração dupla e somente o penis de borracha para ele não gozar rapido. Então, quando meu cu ja tinha sangrado pra porra e ele cansou de usar minha bunda ele puxou minha cabeça para perto do seu penis, em pé na cama, e gozou muito na minha boca. Depois me beijou e ficou trocando o gozo quentinho entre minha boca e a dele.
Mesmo depois meu cu ainda doeu por um tempo, mas, eu conseguia desfarçar, até por que, ficava a maior parte do tempo no computador. Depois disso ainda ficamos na cama um tempão se beijando e ele apertando meu cu, como que pedindo mais.
- Se eu quiser de novo você deixa?
- Eu sou seu - E não estava brincando, até hoje eu ainda dou o cu na hora que ele mandar eu tirar a calça.
- Meu e de mais alguém?
- Nunca fiz sexo com outra pessoa.
- Mas, quer? Podemos fazer com mais um.
Porra, se penis de borracha já doeu, penetração de dois caras vai doar muito, mas, o prazer que vai da vai ser da porra.
- Meu corpo é seu.
Depois disso ele veio mais umas 10 vezes me foder, mas, nunca trouxe um amigo para mim gemer no penis. Ele dizia que eu era dele tantas vezes que acho que ele tinha ciúmes de trazer mais alguém. Enfim, depois dessas vezes ele foi trabalhar em outro estado mas ainda namora com minha irmã... Quem sabe quando ele voltar a gente ainda possa trocar algumas experiências.
Contato:
é necessário estar logado para enviar uma mensagem ao autor do Conto Erótico. Registe-se, é gratuito.

Comentar


Código de segurança
Actualizar

Caminho:

Últimos Comentários

  • daniel"]Me chama la no whats 0whatsapp 0... Mais...
  • NOSSA QUE CONTO MARAVILHOSO,GOS EI MUITO... Mais...
  • CUrioso com vontade de esperimentar uma ... Mais...
  • Muito bom Mais...
  • I see you don't monetize your page, don'... Mais...
  • I have noticed you don't monetize your w... Mais...
  • mocnq Mais...
  • 9 Mais...
  • I have noticed you don't monetize your w... Mais...
  • Can I simply say what a comfort to find ... Mais...

Contos Eróticos Picantes no seu Email

Insira o seu Email:

Patrocinado por FeedBurner