Orgias - Após o jogo no Ipatingão - Contos Eróticos

Contos Eroticos

                   

Pesquisa R√°pida


Após o jogo no Ipatingão

Ver todos os Contos Eróticos de corninho

Referência (ID): 986
Olá galera, vou contar para vocês, o que aconteceu na ultima vêz que o galão da massa veio jogar aqui em Ipatinga-mg, foi contra o "florminense", o galo meteu 2 x 0 nos pó de arroz, mas o que interessa é o que aconteceu durante e depois do jogo.
Bem vamos l√°, pois isso √© o mais importante,antes de irmos para o est√°dio, passamos no shopping do vale, fomos para a pra√ßa de alimenta√ß√£o e tomamos alguns chopes para esquentar, ocasi√£o em que minha esposa aproveitou para mostra a calcinha para os machos que por l√° transitavam, para come√ßar a entrar no clima de sacanagem...quando chegamos ao est√°dio, antes de entrar fomos tomar mais cerveja e enturmamos com torcedores da maior organizada do galo, que veio de BH( a galoucura) para apoiar o time, rapidinho nos entrosamos com eles, pois pelas fotos, voc√™s podem ver como ela √© gostosa. Entramos no est√°dio e fomos para a organizada,eu fiquei um pouco mais afastado da minha esposa e a deixei a vontade, no meio daqueles caras, pois a inten√ß√£o era mesmo que ela fosse bem assediada por eles, e seu eu estivesse do lado, talvez n√£o desse certo. Ela ficou no meio deles, a cada lance de perigo, ela era abra√ßada pelos membros da torcida, mas no primeiro tempo, o jogo ficou de 0 x 0. Mas no segundo tempo, o galo fez 2 a zero, e em cada gol do galo, minha esposa foi abra√ßada por uns 30 caras, sei que nesse meio, ela foi, bolinada e apalpada em todos os cantos do corpo. Fim de jogo, ela sai acompanhada de 4 caras, que viram o jogo com ela, vem em minha dire√ß√£o e os apresenta para mim, como seus novos amigos de BH, ent√£o os convido para tomarmos mais algumas latinhas de cerveja do lado de fora do est√°dio. Quando sa√≠mos de l√°, e eles, sempre sol√≠citos com minha esposa paramos na primeira barraca fora do est√°dio, pedimos seis lat√Ķes de cerveja e come√ßamos a conversar, papo vai, papo vem, eles ap√≥s a elogiarem, me dizem que sou um homem de sorte, por ter uma mulher bonita, simp√°tica e educada assim, pois a que eles conhecem, s√£o na maioria barraqueiras ( esses caras moram na pedreira prado Lopes, favela de BH), e mesmo assim fomos conversando, e eles preocupados, pois o √īnibus que os levariam embora sairia em mais ou menos meia hora, minha esposa, que durante o jogo foi bolinada ao extremo por eles me chama no canto e fala que queria trepar com eles, que era para eu dar um jeito na situa√ß√£o, pensei, puta que pariu, al√©m de ser corno, ainda vou ter que pagar a passagem esses caras amanh√£. N√£o deu outra, tive que falar com eles, que minha esposa queria ficar com os quatro de uma vez, a√≠ perguntei se eles topavam ficar em Ipatinga aquela noite, que no outro dia, eu pagaria a passagem deles,desse momento em diante, a coisa mudou de figura,um deles foi avisar que ficariam com a gente, e ainda veio mais um, ou seja, seriam cinco e n√£o quatro a fod√™-la, a partir daquele momento, minha esposa, virou f√™mea deles, e ali mesmo, em volta do est√°dio, come√ßou a sarrar com eles, dando beijo na boca e sendo apalpada por eles na minha frente, e na frente de todo mundo. Eu j√° estava de pau duro com a cena, ent√£o sem mais perda de tempo, comprei do barraqueiro, o estoque de cervejas que ele tinha, juntamente com a caixa de isopor, busquei o carro, e ela, e mais os cinco machos entraram no carro e fomos para nossa casa mesmo, pois para um motel seria dif√≠cil aceitar, seis homens e uma mulher. Para dirigir at√© em casa foi dif√≠cil, pois no no banco de tr√°s ia minha esposa e mais quatro, o quinto cara ia na frente, mas a toda hora, virava para tr√°s para aproveitar a sacanagem que rolava solta, e eu tentava dirigir e ver o que eu acontecia, mas n√£o via nada, fui bem devagar para nossa casa, quando chegamos, na garagem, quando eles sa√≠ram, minha j√° estava nua, e ali mesmo na garagem, eles come√ßaram a fode-la, colocaram ela apoiada na lateral do carro, e antes que eu sa√≠sse, j√° senti o balan√ßo do carro, com o primeiro metendo nela, dai a pouco, um outro, virou ela para o lado e deu seu pau para ela chupar, minha esposa, ent√£o estava sendo fodida na buceta e tinha mais quatro paus para chupar.Nesse momento entrei em cena, falei para irmos para dentro de casa, pois os vizinhos poderiam ver e n√£o pegaria bem, ent√£o entramos os seis, na sala, recome√ßaram a a sacanagem, botaram minha esposa de quatro e a recome√ßaram a fode-la, eles revezavam entre sua bucetinha e seu cuzinho, enquanto os outros eram chupados por ela, eu ficava ali, assistindo tudo, batendo punheta e trazendo cerveja para eles, cara, foi demais ser corno e gar√ßom, daqueles machos tatuados que se serviam da minha esposa, como se isso fosse algo natural, minha esposa, urrava, gemia e era xingada de todos os nomes, e eu √© claro, os caras falavam assim, vai corninho frouxo, tr√°s cerveja para a gente, depois de uns quarenta minutos de sacanagem, onde eles se revezavam, fodiam minha esposa de todo jeito, xingavam, davam tapa em sua bunda, apertavam os bicos dos seios dela(muito gostosos por sinal), davam tapas na cara dela, um deles gozou pela primeira vez. Depois os outros gozaram, na bucetinha e nos cuzinho, al√©m de esparramarem na cara e nos seios dela. E a cada gozada, eu tinha que lamber a porra deles na minha esposa. Para n√£o ficar repetitivo, eles a foderam a noite toda, afinal, eram em cinco, quando o dia amanheceu, eu os levei at√© a rodovi√°ria aqui de Ipatinga(mas antes ela chupou um por um e recebeu uma gozada de cada um na cara), no trajeto, me cumprimentaram, por eu ter uma mulher gostosa e safada e por ser um corno manso. Peguei o numero do celular de um deles e falei, que, quando houvesse um jogo do galo em BH que eu n√£o pudesse ir com ela, ligaria e deixaria ela ir sozinha, e assim foi, na final da Copa do Brasil, ela foi sozinha nos dois jogos, adivinha com quem ela assistiu e comemorou o titulo do galo em cima das marias...com nossos cinco amigos... s√≥ um dos comedores deixou eu fotografar o pau dele, √© o da primeira foto. No outro dia, um de meus vizinhos, chegou em mim, e falou que viu ela sendo fodida na garagem por cinco caras e que queria tambem. ele sempre a fode l√° em casa, e eu como sempre limpo a bucetinha e o cuzinho dela gozado.tem umas fotos de carnaval tambem, e √© l√≥gico que ela fudeu com esses caras da foto n√©, afinal, vadia √© vadia em qualquer lugar.
Valeu galera.
Contato:
é necessário estar logado para enviar uma mensagem ao autor do Conto Er√≥tico. Registe-se, é gratuito.

Coment√°rios  

 
0 #2 lobomau17 08-08-2016 01:41
muito bom conto tb so de ipatinga mg
Citar | Reportar ao administrador
 
 
0 #1 fabiosgomes 09-02-2015 01:48
adorei seu conto amigo manda a foto de vcs para eu ver sou do rio
Citar | Reportar ao administrador
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

Caminho:

√öltimos Coment√°rios

  • That meant that if a German resident ask... Mais...
  • You should participate in a competition ... Mais...
  • You should participate in a competition ... Mais...
  • Perfeito... Adoro contos assim... Perigo... Mais...
  • Interessante como √© poss√≠vel muitos home... Mais...
  • Perfeito... Adoro contos assim... Perigo... Mais...
  • Perfeito... Adoro contos assim... Perigo... Mais...
  • (quatro, sete) nove, dois, doze, meia, ... Mais...
  • Adoro mulher safada assim... E principal... Mais...
  • I do not know whether it's just me or if... Mais...

Contos Eróticos Picantes no seu Email

Insira o seu Email:

Patrocinado por FeedBurner