Gays - Peguei meu pai com filme pornô gay. - Contos Eróticos

Contos Eroticos

                   

Pesquisa Rápida


Peguei meu pai com filme pornô gay.

Ver todos os Contos Eróticos de mrpr

Referência (ID): 1372
Meu Nome é Joaquim sou negro puxei a família de minha mãe, vinte e três anos, com um metro e noventa de altura, cabeça raspada e um cavanhaque que acho que me deixa bem charmoso e um corpo depilado e forte forjado pelo trabalho de coletor de lixo o famoso lixeiro, pegar sacos de lixos, as vezes tambores e correr vários km não é fácil mas se tem um lado bom é a definição do corporal que se ganha.
Moro apenas com meu pai desde que minha mãe faleceu há uns três anos e que minha irmã mais velha se casou ano passado. Meu pai se chama Francisco de 50 anos, moreno claro, corpo normal, barriguinha não muito grande e coma carequinha no meio da cabeça deixando os poucos cabelos grisalhos na lateral e trás da cabeça.
Ao chegar em casa morto de cansado após um dia exaustivo de trabalho passei direto para o fundo da casa tirei a roupa de trabalho já colocando no tambor com os produtos para tirar o odor e já ajudar na limpeza entrei em casa apenas de cueca e já passei direto para o banheiro. Depois de um demorado banho já estava cheirosinho novamente sai do banheiro enrolado apenas de toalha e achei estranho tanto silencio mesmo para uma casa com apenas dois homens geralmente meu pai estava na sala assistindo algo na tv ou na cozinha.
Chamei por meu pai, mas ninguém respondeu achei estranho e fui em seu quarto abri a porta coloquei apenas a cabeça para dentro e o vi o que me deixou mais aliviado porem algo me chamou a atenção, pois ele estava deitado na cama dormindo completamente nu com o pau já flácido todo melado. Pensei comigo será que meu pai estava batendo punheta ou com alguém? Então algo me fez querer entrar para examinar mais a cena talvez um pouquinho de ciúmes por minha mãe, afinal após tanto tempo meu pai nunca havia nem se quer falado sobre outra mulher.
Entrei no quarto e percebi que a tv estava ligada, mas sem som então o susto o filme que se passava no vídeo era um pornô gay ou seja meu pai estava se masturbando assistindo a filme gay. Olhei para meu pai para a tv, olhei para a cama em volta e por baixo dela a procurar sei la o que ou talvez alguém, mas apenas as coisas de meu pai estavam ali resolvi sair dali ir para meu quarto. Fui ate a tv desliguei o DVD a tv e fui para meu quarto me vestir.
Me vesti e fui a cozinha preparar a janta, mas não conseguia me concentrar, de repente me assustei com meu pai entrando na cozinha sem camisa apenas com um short e parecia estar sem cuecas por de baixo. Meu pai acabou se assustando com meu susto e perguntou se havia algo errado eu disse que não apenas não tinha percebido sua presença. Meu pai bebeu agua eu estava apenas com uma calça de moletom sem cueca não curtia usar cueca em casa era habito de família. Pela primeira vez reparei que meu pai me olhava de uma forma diferente enquanto bebia agua e foi para o banheiro se banhar.
Jantamos e enquanto víamos tv, novamente percebi olhares de meu pai em mim, percorrendo meu corpo todo principalmente quando eu não estava olhando diretamente para ele ou conversando com ele. Nesta noite não consegui dormir e acho que por conta do que eu vi toda minha vida voltou em minha cabeça durante a noite em especial os momentos com meu pai. Desde criança nos dois juntos, sua forma carinhosa de brincar comigo sempre me colocando no colo, brincando de comigo em seus ombros, os banhos juntos e como eu nunca havia percebido antes que meu pai sempre dava mais atenção a mim que para minha irmã mesmo com as reclamações dela sempre eu e ele e minha mãe dizíamos que era implicância dela, mas naquele momento eu estava percebendo que não era de todo apenas uma impressão, mas algo real. Meu pai estava sempre de olho em mim, sempre me incentivando a ficar sem camisa, foi ele que me acostumou a não usar cueca em casa, sempre elogiando meu corpo principalmente quando começou a se desenvolver... Será que meu pai realmente pensava em mim além de filho ou era apenas coisas da minha cabeça?
Não consegui pregar os olhos a noite toda com vários pensamentos invadindo minha mente era eu conseguir expulsar um pensamento vinha outro em seu lugar. Levantei varias vezes para beber agua e por consequências inúmeras outras para ir ao banheiro mijar e numa dessas meu pai acaba entrando no banheiro enquanto eu estava a me aliviar.
_ Que levanta e deita, acende e apaga de luz é esse Joaquim?
_ Estou com insônia pai.
_ Percebi.
Disse meu pai sem cerimônia alguma tirando seu pau para fora e vindo dividir o vaso comigo se pondo a mijar também.
_ O que esta acontecendo problemas?
_ Não nenhum! Estou usando o vaso pai.
_ E daí? Eu também estou apertado, os dois estamos mijando e há espaço suficiente para nos dois. O que foi agora vergonha do seu pai?
_ É que é estranho so isso.
Disse eu terminando de mijar dando uma chacoalhada na rola e a guardando em minha calça. Meu pai também terminou chacoalhou sua rola e a guardou em seu short.
_ Era so o que me faltava meu próprio filho com vergonha de mim o ver pelado agora depois de velho. Fique sabendo garoto que eu que te fiz e já te vi inúmeras vezes pelando mesmo antes dessa sua cobra virar essa jiboia ai, vergonha devia ter eu de ficar pelado perto de você com minha rolinha, nesse ponto sorte sua que puxou a família da sua mãe.
_ Por falar nisso já pensou em se casar de novo pai?
_ Que pergunta é essa garoto?
_ Normal o senhor é novo ainda, esta viúvo...
_ Acho que outra como sua mãe nunca vou encontrar.
Disse meu pai indo para seu quarto fui para o meu e finalmente consegui dormir um pouco, mas logo o despertador apitou, nossa que dia puxado, morto de sono, sol estalando no lombo, cheguei pregado em casa por sorte era sexta feira. Direto para os fundos como sempre me despi e entrei apenas de cueca para o banheiro tomei meu banho e novamente a casa em silencio fui no quarto do meu pai, mas desta vez ele não estava la. Voltei e olhei em toda a casa e não tinha ninguém então não sei o que me deu, mas voltei ao quarto do meu pai olhei o DVD e o filme do dia anterior estava la liguei e comecei a assistir. Nunca me imaginei gay muito menos meu pai, acho que apenas queria entender saber o porque do meu pai estar vendo aquilo o que ele tinha visto de interessante.
Os atores do filme eram todos fortes, musculosos, depilados. O filme era inter-racial com brancos e negros se fudendo em uma determinada cena um rapaz branco fazia sexo oral em um negro bem roludo era impossível não se excitar ao ver aquela boquinha rosada abocanhando aquele cacetão enorme e grosso que parecia ser feito de chocolate. De repente meu pai entra e me pega sentado em sua cama apenas de toalha vendo o filme ele fica pálido, mesmo assim pergunta o que esta acontecendo.
_ Eu que pergunto ao senhor que filme é esse?
_ Não sei, pelo que vejo você que esta vendo e nu em meu quarto.
_ Não se faça de bobo pai.
_ Oxe não falte com respeito comigo moleque que ainda sou seu pai.
_ Pois eu sei que este filme é do senhor, vi ontem o senhor todo esporrado aqui na cama com ele ligado. O senhor é gay?
_ olha filho eu posso explicar disse meu pai se aproximando de mim, mesmo nervoso era possível notar seus olhos percorrendo meu corpo e principalmente indo de encontro com o volume que eu tinha entre as pernas escondido pela toalha o que fazia parecer um circo armado, meu pai gaguejava e se perdia na tentativa de explicar o que piorava a cada momento que ele desviava seu olhar para o meio de minhas pernas e aquilo estranhamente aumentava meu tesão ate que não mais aguentei e abri a toalha descobrindo meu cacete duro feito ferro pulsando de tesão.
_ È isso que o senhor queria ver?
Meu pai gaguejou ficou vermelho eu por impulso peguei em sua mão gelada e coloquei em meu pau e a fechei ele segurou meu cacete eu segurando sua mão comecei a fazer movimentos masturbatórios, mas logo meu pai já movimentava sozinho me fazendo uma deliciosa punheta. Não demorou muito para meu velho se ajoelhar em meio as minhas pernas com uma mão ele me punhetava e com a outra acariciava meu peito. Não sei o que me deu apenas olhei para ele que estava já salivando passando a língua nos lábios e disse:
_ Chupa!
Nem precisei repetir, meu pai caiu de boca sorvendo meu cacete, com sua boca toda molhava me pagando um maravilhoso boquete com muita vontade e não parecia ser a primeira vez que o fazia.
Meu pai mamava meu cacete, lambia da cabeça a base, lambia meu saco e minha virilha, lambeu minha barriga e voltou a mamar em meu cacete. Depois de certo tempo intensificou a mamada na cabeça do meu cacete enquanto me masturbava a parte que ficava para fora da boca e tive que me segurar para não gozar.
_ Para ou eu vou gozar!
Meu pai parou subiu na cama e de quatro me pediu goza mas goza metendo no meu rabo filho.
Não acreditei que meu próprio pai estava me pedindo para come lo, mas meu tezão estava tão grande que não resisti, subi na cama ficando de joelhos passei meu cacete na portinha de seu cu, dei uma massageada em suas bandas da bunda dei uns tapinhas meu pai deu uns gritos e gemidos me entregou um vidro de lubrificante e disse.
_ Vai enterra logo essa jiboia em meu rabo moleque!
Passei o gel em meu cacete com dois dedos lubrifiquei o buraco quente do meu pai e fui enfiando.
_ Eita buraco quente da porra! Ta com fogo em?
_ Vem apaga o fogo desse seu velho com essa mangueira!
E comecei a bombar metia com vontade e meu pai so gemendo e e pedindo mais dizia não estar acreditando que aquilo estava acontecendo que seu sonho estava sendo realizado.
_ Que rola gostosa no meu cu! Mete moleque me arromba com essa anaconda!
_ è rola que tu quer ? È de cacete que tu gosta? Então toma a pomba do teu filho no rabo caralho!
_ Mete isso, mete tudo!
_ Meu pai pediu para mudar de posição desci da cama ficando em pe, meu pai deitou de barriga para cima na beira da cama arreganhando as pernas me pedindo porra.
_ Vem meu filho enche esse meu rabo com tua porra!
Voltei a meter , meu corpo já suava sentia o suor escorrendo pelo meu corpo, mas eu ainda tinha muito o que meter já estava a algum tempo sem namorada e a muito sem comer um cu, queria me satisfazer. Meti por muito tempo ate que meu pai gozou melando toda sua barriga com porra trancando o cu apertando meu cacete e não mais aguentei e gozei litros de porra dentro daquele cu quente do meu pai.
Nunca passou que aquilo fosse acontecer eu transando com outro homem muito menos com meu próprio pai, mas aconteceu. Tirei o pau do seu cu e fui para o banho eu já estava quase terminando quando meu pai entrou não demorou muito para meu pau estar tezo novamente e eu ganhar mais um delicioso boquete de meu pai e dessa vez gozar em sua boca e meu pai engolir tudo.
Depois da janta meu pai conversou comigo, me falou de antes de seu casamento, durante, que nunca traiu minha mãe e de seu desejo por mim, mas que nunca pensou que isso se realizaria. Depois disso passamos a transar sempre, claro que apenas nos sabíamos disso. Mesmo diante dessa situação não deixei de ter tezão em mulheres e logo comecei a namorar uma mulher muito linda, mesmo assim continuo satisfazendo meu pai que não quer arrumar outra mulher nem se aventurar com algum homem desconhecido.

Bom essa é minha historia e você já sentiu atração por seu pai ou notou que ele sente por você? Já rolou algo? Comente, vote, participe!


Autor: Mrpr2
Contato:
é necessário estar logado para enviar uma mensagem ao autor do Conto Erótico. Registe-se, é gratuito.

Comentar


Código de segurança
Actualizar

Caminho:

Últimos Comentários

  • I every time used to study post in news ... Mais...
  • Gostei muito queria chupar vc muito sua ... Mais...
  • delicia demais rabinho de novinho Mais...
  • adoro ler contos de mulheres safadas Mais...
  • (quatro, sete) nove, dois, doze, meia, q... Mais...
  • Interessante como é possível muitos home... Mais...
  • delicia era tudo que eu queria que minha... Mais...
  • adorei a puta da sua esposa tbm quero Mais...
  • vc e uma casada bem safada e tesuda pois... Mais...
  • sou moreno adoro vc whatsapp add solteir... Mais...

Contos Eróticos Picantes no seu Email

Insira o seu Email:

Patrocinado por FeedBurner