Orgias - Um dia de Escola - Contos Eróticos

Contos Eroticos

                   

Pesquisa R√°pida


Receba os Contos Eróticos Picantes no seu Email

Insira o seu Email:

Patrocinado por FeedBurner

Um dia de Escola

Ver todos os Contos Eróticos de pm4ever69

Referência (ID): 490
Foi um dia normal como os outros, não sei o que aconteceu, dei aulas, mas havia qualquer coisa diferente nesse dia, não era normal, elas olhavam para mim de outra forma… elas, sim elas… a Patrícia e a Catarina, as duas… mas como poderia ser?
Eu estava na sala, que raio estava a acontecer? Havia algo diferente, uma sensação diferente, eu próprio sentia que algo tinha mudado, o que seria… não sei… Continuei a dar a aula como normalmente.
De repente olho para a minha direita e vejo a Catarina, aquele ‚Äúmaldito vestido‚ÄĚ estava a deixar-me louco.
Ao lado dela a Patrícia notou que eu estava a olhar para o vestido e pisca-me o olho… ???
Ei? O que se passa aqui?
Nunca tinha piscado o olho para mim! Fiquei enrascado e olho para a Catarina, ela faz o mesmo e pisca o olho também… Ai, ai! …Estarei louco? ...O que se passa?
A aula já era, tento disfarçar e levanto-me para andar um pouco na sala, asneira… o vestido da Catarina está mais acima do normal, aquelas pernas espetaculares estão quase todas à mostra…
Duh, wake up dude? T√°s a dormir? Ser√° isto um sonho?
Não quero saber e deixo-me ir…
Elas falam entre si e a tensão continua. …Elas riem-se e olham para mim…
Fico sem jeito e olho para minha roupa para ver se tenho alguma coisa suja ou…
Nada…
Os outros não notam nada e continuam como se nada se tivesse passado… deixo ir…
Estou a gostar da atenção… eu 40 anos… elas pelos 20… que loucura…. Só pode ser um sonho…
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
Fecho os olhos e volto a abrir… continua… as duas fofinhas da turma, estão a olhar para mim e continuam a rir.
Lindas, a Patrícia um anjo de cabelo loiro, a Catarina, outro anjo de cabelo negro, que duas…
Estranhamente sinto-me bem… que fazer?
Deixo ir…
As horas passam e está quase a acabar, mais uma 4ª feira… As aulas terminam na 6ª… Tenho de preparar as notas, penso eu comigo próprio…
Dá o toque para a saída, estranho, nunca tinha tocado antes… mas pronto.
Os alunos perguntam se podem sair. Eu digo que sim e saem…
As duas ficam, o que se passa? O que querem? Perguntas sobre as notas, hoje não, já chega…
Mas a risota n√£o para e a Catarina diz- Prof. Podemos falar consigo?
- Ok, o que se passa?
- Podemos falar consigo? ‚Äď diz a Patr√≠cia.
- Digam ‚Äď repondo eu.
- Gostaríamos de ir tomar um café consigo, pode ser? - Diz a Catarina.
Estranho, penso eu, a Catarina nunca toma café…
- Ok ‚Äď respondo.
Ficam contentes… e la nos encontramos no café… não sei onde estou… não me lembro de ter chegado ali… outra vez…
Só pode ser um sonho…
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
Elas perguntam se estou bem e digo que sim, conversamos enquanto bebemos café, sinto-me bem, sinto-me novo, ao lado destas duas deusas de 20 aninhos…
√Č fixe, n√£o estamos sozinhos no caf√©, as outras pessoas olham para mim‚Ķ
Sinto-me bem, estou bem acompanhado, não quero saber o que pensam os outros e elas, pelos vistos, muito menos…
Querem sair dali, e eu pergunto onde vamos? Apenas dizem segue-nos… é o que faço…
Zap… zap… há um salto, não sei onde estou… quatro paredes, uma janela… aproximo-me… uma vista linda para o lado de fora… o mar…
Sinto que não estou só e viro-me…
Elas estão comigo…
Aquele vestido outra vez… que tentação…
Elas são lindas… lindas de morrer…
A Patrícia está de calças de ganga, como sempre, apertadinhas naquele corpo jovem e sem defeitos, uma t-shirt decotada com algo de renda por baixo…
A Catarina, naquele vestido preto, curto… algo transparente… pernas que não terminam até ao fundo do vestido… lindas… mais acima, não consigo lembrar-me… dourado… que esconde aquelas formas que bem conheço de 3 anos de olhar…
Estarei eu doido?
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
A Patr√≠cia aproxima-se e diz, ‚Äúsomos tuas, para o que quiseres, sei que nos desejas‚Ķ‚ÄĚ
Fico de boca aberta, sem palavras… a tremer… sem saber o que fazer…
Como?... Falas a sério?
Ela não diz nada e aproxima-se de mim, mete as mãos à volta do meu pescoço e beija-me os lábios levemente.
Não sei o que fazer… Resisto? Deixo ir?
Nem tenho tempo de pensar, sinto a sua língua nos meus lábios e abro a minha boca… que calor… que sabor… que perfume…
Sinto-me nas nuvens….
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
Quase me esqueci que não estávamos sozinhos….
Sinto um respirar no meu pescoço… As mãos nas minhas costas… Catarina… uau! Que arrepio…
Continuo a beijar a Patrícia enquanto a Catarina toca os seus lábios no seu pescoço…
Não resisto… solto-me do beijo da Patrícia e viro-me… olhos nos olhos com a Catarina e os nossos lábios aproximam-se…
Um beijo… dois beijos… leves a princípio… aumenta o ritmo e não conseguimos parar…
Que loucura…
Não acordes…. Please… não acordes…. Please…
As mãos das duas percorrem o meu corpo, as minhas mãos, o delas… Nem sei por onde começar…
Deixo-me ir… sou delas…
Elas tomam conta da situação e começam a tirar a minha roupa…
Beijos por todo o lado… uma vez a Patrícia… outra a Catarina…
Sinto o meu corpo a tremer‚Ķ √Č lindo‚Ķ Sinto-me bem‚Ķ
Sinto os lábios delas a percorrerem o meu corpo, a t-shirt já era…
As minhas mãos estão soltas… tiro a t-shirt da Patrícia… rendas… soutien… lindo… que perfeição… preto… sedoso.
Pouco esconde…
Nas costas sinto as mãos da Catarina… a sua boca no meu pescoço… os arrepios no corpo todo… tão bom…
As rendas saem… o soutien… solta-se… primeiro uma alça…. Depois a outra… a Patrícia segura-o com as duas mãos… sensualidade…
O perfume destas tuas mulheres no ar… sim mulheres… até há bem pouco tempo eram raparigas inocentes, penso eu… agora mulheres… loucas… a dar-me prazer… só com beijos…
Só com as mãos…
Só com o olhar…
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
A Catarina abraça-me… não resisto… viro-me e levo os meus lábios aos dela… beijo-a sofregamente…
Sinto as mãos da Patrícia nas minhas costas… as unhas percorrem a minha coluna… beijos… beijos leves… um abraço… e… sinto os seios dela na minha pele… nas costas… mais um arrepio enquanto a minha língua se envolve com a língua da Catarina…
Que calor…
Abraço a Catarina e passo as mãos pelas suas costas… a minha língua no seu pescoço… as minhas mãos vão descendo até ao vale das suas costas… o seu rabo… perfeito… firme…
A língua da Patrícia no meu pescoço… arrepia-me…
As minhas mãos descem… maldito vestido… a culpa é tua…
Encontro o fundo do vestido e começo a subi-lo… não vejo nada… só sinto… tenho os olhos fechados… não quero acordar…
Arrisco… abro os olhos… tenho de ver onde acabam aquelas pernas… lindo… lingerie preta… em baixo…
Continuo a subir… soutien preto em cima… que lindo… tão perfeitos… que seios perfeitos… encobertos pela mais bela seda preta… transparente… Perco-me…
Olho mais a cima e os nosso olhos encontram-se… mais um beijo… dois… lentamente… mais rápido… fico sem ar…
Sim umas mãos na minha barriga… nas minhas calças… no meu cinto…
Clic… e lá vai o cinto…
Patrícia não… please… não podemos, já fomos longe de mais… penso eu…
Mas não consigo falar… a língua da Catarina enrolada na minha…
Ziiiiiipppp… o fecho a abrir…
As calças caem… Estou de boxers… mas não dá para esconder a excitação… Tenho-o duro…
A Catarina encosta-se… Aperta-se contra mim… que loucura… que sensação…
Tenho medo… será isso real… eu quero que seja…
Viro-me… e vejo… pela 1ª vez os seios da Patrícia… perfeitos… branquinhos… perfeitos…
Enfeitiça-me… olho-a nos olhos e não resisto… beijo-a… lentamente… mais rápido… os nosso corpos toca-se…
Sinto o seu peito de encontro ao meu… beijo o pescoço… desço mais um pouco… e… levo a minha boca àqueles lindos seios…
Mãos nas costas… calor humano… Estou no meio… abraços beijos…
Os nosso corpos fundem-se… uma vez uma… uma vez outra… beijo-as…
Sinto umas mãos nos meus boxers… não sei de quem são… não interessa… vou ficar livre…
Lentamente… lentamente as mãos descem… levando consigo a minha prisão… enfim, livre…
Estou excitado… muito excitado… nunca antes tinha estado assim… duro…
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
Os boxers caem no chão… Estou nu… perante estas duas deusas gregas…
Afasta-me… empurram-me contra a parede e olha para mim…
Espero ofegante… o que virá a seguir…
A Catarina olha para mim… fixa o olhar… leva as mãos às costas e solta-o… solta o soutien de seda… lentamente deixando-o cair no chão…
Estou perplexo… que beleza de corpos… que sensualidade… as duas… uma loira… outra morena… não aguento… vou mover-me e elas… param-me dizendo… espera…
Ao mesmo tempo‚Ķ levam as m√£os √† lingerie e come√ßam e baixa-la em un√≠ssono‚Ķ virando ‚Äďse‚Ķ deixando-me ver aqueles rabos‚Ķ que lindo‚Ķ que perfei√ß√£o‚Ķ
Quero tocar… mas não… espero… elas mandam…
Soltam-se‚Ķ est√£o nuas‚Ķ de costas‚Ķ ati√ßam-me‚Ķ n√£o se viram‚Ķ e perguntam‚Ķ ‚Äúqueres‚Ķ queres continuar‚Ķ?‚Ä̂Ķ
Quase desmaio… boca seca… tento falar e nada sai… Digo que sim com a cabeça…
O perfume no ar é extasiante… sensual… sexual…
Viram-se… curvas torneadas… corpos perfeitos… olhos lindos… seios estonteantes…
Mas a minha atenção desce… em ambas, a barriga lisa… os sexos limpos… sem pelos… lisinhos… excitados… brilhantes…
O meu sexo atento… o meu pénis dá sinal… as vaginas são lindas… lindas… estou no céu…
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
Não acordei… Continuei ali… à minha frente… não há palavras…
Estou excitadíssimo… o perfume no ar é…. Não sei… é bom… não… muito bom… não… não há palavras…
Que faço… tento mexer-me… não consigo… a excitação é tanta…
Mas elas sabem… elas estão a controlar… mexem-se… na minha direção… aproximam-se… erguem as mãos… tocam-me… a Catarina puxa-me para ela e beija-me…
Abraça-me…
A Patrícia passa para trás de mim… abraça-me também… e continuamos… beijos… abraços… corpos que se tocam… loucura… calor… não parem… Quero sentir… quero… Quero muito…
O meu pénis está encostado à barriga da Catarina… duro… dói de prazer…
Abraço a Catarina… as minhas mãos descem… sinto o seu corpo nu… as suas costas… o seu peito conta o meu… as minhas mãos descem…
Encontro… encontro… um rabo… um rabo perfeito… os meus olhos fechados… agora só quero sentir… sentir… sentir…
O meu coração bate… o delas também…
Sinto os lábios dela…
Sinto as mãos nas costas… Mais outras mãos… mais um abraço… Voltamos a ser um só…
Três seres… num só…
As mãos delas tocam-me… como borboletas… levemente… arrepios… não há palavras…
Os corpos humedecem-se… calor… é tão bom…
As línguas entrelaçam-se… Salto de uma boca para a outra… sorvendo sabores… cheiros…
H√° uma calma no ar‚Ķ √© lindo‚Ķ sensual‚Ķ em c√Ęmara lenta‚Ķ
Viro-me… abraço a Patrícia… sinto os seus seios no meu peito… o meu pénis estremece…
As mãos baralham-se… Trocam toques sensuais de prazer…
Leves gemidos percorrem o ar‚Ķ a respira√ß√£o aumenta de velocidade‚Ķ √Č perfeito‚Ķ
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
Baixo as minhas mãos e passo-as pelos seios da Patrícia… são firmes…
Sinto os seios da Catarina nas minhas costas e viro-me… Quero senti-los também… é o que faço…
Passo as mãos pelos mamilos… a língua também… Beijo-os… Chupo-os…
Sinto as mãos da Patrícia no meu corpo… no meu rabo… toca-me… apalpa-me…
Ajoelho-me… Tenho a barriga da Catarina à minha frente… lisinha… perfeita…
Passo a língua pelo umbigo… Sinto o perfume do seu sexo… da sua vagina… Ela solta um leve gemido… está excitada… gosta da minha atenção…
Desço um pouco… respiro o seu perfume… paro… viro-me…
Repito na Patrícia… língua… beijo… umbigo… gemido… lindo… que emoção…
Tudo muito lento… não há pressas…
Os toques são sensuais… leves… tentadores… excitantes…
Baixo-me… à minha frente um ventre liso… uma vagina molhada… um beijo… dois…
A língua sai… sinto a pele… o sabor… penetro mais fundo… molhada… saborosa vagina…
Não consigo parar… olhos abertos… quero ver… quero sentir… quero dar prazer…
Não posso parar agora…
Não acordes…. Please… Não acordes…. Please…
A língua entra… um gemido… dois… aumenta o tom… as mãos dela na minha cabeça…
Não pares… não pares…
Paro… ainda é cedo… Tem de durar este prazer…
Viro-me… a Catarina olha para mim… percebo…
Elas em pé… beijo a vagina dela… da Catarina… Repito tudo de novo… língua… beijo…
Beijo as pétalas e bebo o néctar… a minha língua entra… ela abre-se… ela solta um gemido… dois… hummmm… que prazer…
Encontro o clit√≥ris‚Ķ durinho‚Ķ sens√≠vel‚Ķ h√ļmido‚Ķ
A minha língua sente-o… excita-o… ela geme… gosta… pede mais…
Levo os dedos à vagina… abro as pétalas… o botão da rosa fica mais à mostra… o clitóris… mais sensível…
Os meus dedos procuram‚Ķ encontram a entrada‚Ķ entra um‚Ķ est√° h√ļmido‚Ķ quente‚Ķ
As suas mãos na minha cabeça… puxam os cabelos… o prazer aproxima-se…
‚ÄúN√£o pares‚ÄĚ diz ela‚Ķ ‚Äúd√°-me a tua l√≠ngua‚Ä̂Ķ ‚Äúmexe com os dedos‚Ä̂Ķ ‚Äúd√°-me prazer‚Ä̂Ķ
Ela estremece‚Ķ treme‚Ķ sente‚Ķ fica mais h√ļmida‚Ķ geme mais alto‚Ķ
Sinto as suas pernas a falhar… Vai-se… Entra em colapso… ofegante… deixa-se cair nos meus braços… Atordoada… Extasiada… Linda…
Gotas de suor correm o seu corpo… Sorvo-as… Sinto todo o seu perfume no ar…
A Patrícia tinha parado… Vislumbrava tudo o que se passava em seu redor… Abraçada em mim…
‚ÄúTamb√©m quero‚ÄĚ ‚Äď Dizia‚Ķ ‚ÄúAgora sou eu‚Ä̂Ķ ‚ÄúVem para mim‚Ä̂Ķ
Poisei a Catarina no ch√£o‚Ķ ainda ‚Äúdesligada‚Ä̂Ķ leve‚Ķ linda‚Ķ
Virei-me… e Patrícia saltou para cima de mim… Agarrou o meu pénis…
Tremi… gemi… que sensação…
Baixou-se… Olhou para mim… levou-o à boca… e com a língua começou a acaricia-lo…
Senti… Senti muito prazer… era bom… que desejo…
Ela olhou para mim… e muito lentamente lambeu o meu pénis… meteu-o na boca…
Começou um vai-e-vem lento…
Gemi… gemi mais ainda… que sensação… que calor…
A minha cabeça deitada no chão… Encostada ao corpo da Catarina… que despertava da sua viagem… observava… desejava… queria mais…
Patrícia percebeu… Olhou para ela… convidou-a…
A Catarina levantou-se… Passou ao meu lado… lentamente… percorrendo todo o meu corpo com a língua…
A Patrícia percebeu… parou o vai-e-vem… tirou-o para fora… largou-o… partilhou-o com ela…
Eu continuava deitado no chão…
A Patrícia deu a volta e passando a perna por cima da minha cabeça… baixou a sua vagina para os meus lábios… diferente… o perfume… o sabor… o veludo… as pétalas… o botão…
Agarrei o rabo dela… e… Ui!… Uma boca… Uma boca lambeu-me… Catarina… tinha o controlo… tinha-o na mão… lambia-o…
Enquanto eu lambia a Patrícia, a Catarina lambia-me…
S√≥ sentia‚Ķ n√£o via nada‚Ķ mas as sensa√ß√Ķes faziam-me ver estrelas‚Ķ gemia‚Ķ
Gemíamos… Tínhamos prazer… hummmm…. Uiiiiiii… tão bom….
A Patrícia acelerou os seus movimentos… a Catarina percebeu… Tirou o meu pénis da boca… passou uma perna por cima de mim…
A Patr√≠cia gemia‚Ķ gemia alto‚Ķ ‚Äúmais‚ÄĚ dizia‚Ķ ‚Äúdevagar‚Ä̂Ķ ‚ÄúQuero que dure‚Ä̂Ķ
A Catarina não aguentou… Apontou o meu pénis à sua vagina e… começou a descer…
N√£o estava √† espera‚Ķ calor‚Ķ h√ļmido‚Ķ quentinho‚Ķ apertadinho‚Ķ t√£o bom‚Ķ
Patrícia acelerou na minha boca… lambia-a… penetrava-a com a minha língua… bebia todo o seu néctar…
A Catarina foi descendo… devagarinho… até ao fim… parou… apertou… sentiu…
Queríamos que o tempo parasse… que as horas não andassem…
A Patrícia não aguentou mais… Acelerou… e… deixou-se ir…
Estavam as duas frente a frente… abraçaram-se e… a Catarina começou a mexer-se… para cima e para baixo… estava excitada… era demais…
Era demais para nós…
A Patrícia atingiu o cume do prazer… deixou correr o seu néctar… sorvi-o todo…
O Perfume do sexo estafa no ar… A Catarina não aguantava muito mais… eu também não…
A Patrícia caiu… Deixou-se cair no meu corpo… deixou-se envolver pela loucura… voou para outros mundos… gemendo de prazer…
Não acordes…. Please… não acordes…. Please… agora não Please…
Foi muito rápido… a Catarina não consegui u aguentar… e sem parar… para cima e para baixo… veio-se… gemendo alto… gritando… aaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iiiii..
Estava quase… mas elas controlavam… Pararam…
Abracei-as… os nossos corpos enrolados… o meu prazer ainda por satisfazer…
A Patrícia recuperou… Tomou as rédeas do jogo e… sem mais perguntas… saltou e deixou-se penetrar…
Começou um movimento rápido de cima para baixo e de baixo para cima… incontrolável…
Não acordes…. Please… não acordes…. Please…
N√£o conseguia controlar‚Ķ Estava perto‚Ķ ‚ÄúDevagar‚ÄĚ disse-lhe‚Ķ ‚Äúmas n√£o pares‚Ä̂Ķ ‚Äún√£o vou aguentar muito mais‚Ä̂Ķ
A Catarina observava… relaxada… linda… acariciando o seu corpo… sentido o desvanecer lento do prazer…
O dia continuava lindo… tinham-se passado horas… minutos… segundos… tempo…
Tempo bem passado…
Estava louco… a minha cabeça vagueava pelo que tinha acontecido… pelo que estava a acontecer… Estava gravado no meu cérebro… era meu… ninguém mo podia roubar…
A Patrícia não parava… e eu gemia… beijei-a… beijei a Catarina… e… tirando o meu pénis de dentro da Patrícia… vim-me… queria que elas vissem… queria que elas sentissem… sentissem o que me tinham dado… o maior dos prazeres humanos… o suprassumo do universo… senti… o meu sumo sair do meu pénis… em jatos fortes… gemi e estremeci de prazer… atingi os píncaros num orgasmo incrivelmente sensorial e…. Olhando para elas duas… lindas… duas deusas gregas do Olimpo… ACORDEI… Com a mais maravilhosa sensação do mundo… Queria apenas vê-las… senti-las… adoro-as…
Contato:
é necessário estar logado para enviar uma mensagem ao autor do Conto Er√≥tico. Registe-se, é gratuito.
nopic

Coment√°rios  

 
0 #1 pm4ever69 22-03-2012 23:54
√Č pena, foi apenas um sonho, mas podia acontecer um dia... quem sabe
Citar | Reportar ao administrador
 

Comentar


Código de segurança
Actualizar

Caminho:

√öltimos Coment√°rios

  • Ana Paula, voc√™ √© dez gostei do conto...... Mais...
  • Gostei rico em detalhes...tem estilo gos... Mais...
  • Exitande Mais...
  • conto gostoso de ler, muito curto mas fa... Mais...
  • Seus contos s√£o extraordin√°rios tenho mu... Mais...
  • meu skype vamo troca fotos vc manda sua ... Mais...
  • eu amei esse conto fiqei excitada cm mih... Mais...
  • V√° se fode com essa merda de conto toma ... Mais...
  • meninas do litoral d s√£o paulo e demais ... Mais...
  • meninas q quiserem realizar suas fantasi... Mais...