Traições - TENTEI EVITAR MAS ACABEI COMENDO A MULHER DO MEU AMIGO - Contos Eróticos

Contos Eroticos

                   

Pesquisa Rápida


TENTEI EVITAR MAS ACABEI COMENDO A MULHER DO MEU AMIGO

Ver todos os Contos Eróticos de taradopbundas

Referência (ID): 1693
Quando jovem trabalhei num sitio como ajudante geral. Tinha 20 anos na época. Ali fazia de tudo um pouco. O sitio era grande, gramado por todo lado, canteiros de flores e pomar. A rotina era a mesma. Tarefas distribuídas até as cinco da tarde. Certo dia a rotina foi quebrada com a chegada de um casal. Eles iriam morar em uma das casas que estava vazia. Eles não iriam trabalhar no sítio apenas iriam ocupar a casa. Ele era policial vindo de uma cidade vizinha que prefiro não dizer o nome, seu nome também será fictício (Souza), pois infelizmente ele acabou se suicidando e faço isso em respeito a sua memória. Sua esposa vou chamá-la Lili. Morena bonita, seios grandes e bunda redondinha. Eles tinham uma filha ainda criança que não há necessidade de colocá-la na cena. Fomos buscar sua mudança e dentro de algumas semanas me tornei amigo da família. Ele ficou sabendo que eu tocava violão, acabou comprando um e já estávamos tocando em churrasco com os amigos. Nossa amizade cada vez mais fortalecida pelo respeito e companheirismo. Com o tempo sua mulher passou a se aproximar de mim para conversar, falar da vida dela. Eu dava atenção procurando sempre manter o respeito em consideração ao seu marido. Todos os dias ela me procurava pelo sítio até meus amigos já perceberam. E diziam:
- Cara, a Lili não pode ver você que vêm atrás!
Apenas achava graça no que eles falavam sem dar muita importância. No entanto, passei a prestar atenção e realmente ela estava na minha cola. Cada dia ela vinha com os peitões quase saltando da roupa cada vez mais ousada. Certa vez estava sentado num banco no meu horário de almoço Lili sentou-se do meu lado. Começamos a conversar e para resumir nosso papo ela do nada me perguntou
- Você já comeu alguma menina?
Eu sem graça com a pergunta respondi.
- Já! Lili então dá um sorriso como se estivesse duvidando e diz:
- Não sei não parece que você é tímido!
Concordei com ela quanto a timidez porém me garanti. Ela então completa.
- Tem que aproveitar moço, tanta menininha por aí querendo dar!
No sítio, quando calor usava calção sem cueca por baixo. Conforme a conversa meu pau foi levantando barraco. Disfarçava o tempo todo torcendo para ela fosse embora logo para poder me levantar. Lili acabou indo embora. A partir daí punhetas eram em sua homenagem. Outro episódio estava eu pintando um balanço e lá veio ela de novo. E perguntou:
- Você costuma dar pintada com pincel ou brocha?
- Uso mais o pincel!
Rimos e ela ficou um pouco exibindo seu decote generoso. Já não era dúvida que Lili estava me assediando. O Souza que me desculpe mas não tinha como não pensar na sua esposa sem pensar em sexo. Lili fazia questão de mostrar seu decote. Ficava maluco. Meu pau estava sempre duro. Ela nada boba com certeza já sacou o volume no meu calção. Certa vez meu patrão pediu que arrumasse o registro do chuveiro na casa do Souza. Fui, entrei no banheiro e dei início ao serviço. Lili abre a porta e entra no banheiro. O banheiro não era muito grande e logo estava me espremendo com ela. Seu perfume, seu decote me deixou de circo armado. Disfarçava mas o volume me denunciava. Lili deu uma olhada e saiu. Meu saco doía de tanto tesão de vontade de comer aquela mulher mas minha consciência sempre me lembrava da amizade com seu marido. Porém um dia não teve jeito. Lili precisava tirar algumas coisas de cima do guarda roupa e pediu que a ajudasse. Fui com ela até o quarto do casal e subi numa escada para tirar o que ela pedia. De cima tinha uma visão linda de seu decote. Ela parecia fazer questão de deixar seus melões quase à mostra. Minha rola já despontava no calção. Tentava esconder mas era inevitável que ela visse. Ela então me interroga.
- Por que você não vira pra cá moço?
- É que estou tentado segurar melhor essa caixa!
- Está escondendo esse volume no calção né!
Fiquei sem dizer nada e Lili continuou.
- Relaxa seu bobo é normal!
Mais a vontade fui virando devagar e seu olhos caíram no volume da minha rola. Lili sem dizer nada colocou a mão por debaixo do calção e com as pontas do dedo foi chegando no meu saco. Aos poucos foi acariciando meu saco. Ela então tirou a mão e correu fechar a janela e voltou. Colocou a mão no meu saco de novo por debaixo do calção e começou a massagear meus ovos. Eu fechei os olhos e me deliciava. Quando então sinto sua mão segurando a base do meu pau. Lili foi ajeitando na mão e deu inicio uma gostosa punheta. No calor do tesão ela então desce meu calção e vê saltar próximo de seus lábios um cacete babando de tesão.
- Nossa. Ele está assim por mim?
- E faz tempo Lili.
Lili olha para mim e diz:
- Vai ser nosso segredo hein!
Só balancei com a cabeça e Lili já colocou a cabeçona na boca iniciando um delicioso boquete. Eu de pé na escada e Lili embaixo mamando minha pica.
- Ai Lili que gostoso...chupa meu pau chupa gostosa...
Depois de mamar Lili ordena que eu desça a escada. Ela tira o short e fica de quatro na beira da cama e diz:
- Vem logo comer essa buceta vem seu safado!
- Mas e o Souza?
- Ele vai chegar só a noite. Vem que eu quero sua rola vem!
Encostei a pica em sua buceta e fui entrando. Que delicia.
- Iiiiiisso...até que enfim você se tocou hein. Estava louca para dar pra você seu besta!
Socava minha rola com vontade naquela buceta maravilhosa. Lili gemia e rebolava no meu pau. Depois me deitou e veio com suas tetas em minha boca, foi descendo e iniciou uma deliciosa espanhola.
- Gosta dos meus peitos né seu safado. Você pensa que não percebia você colado no meu decote agora eles são teus aproveita seu puto!
Lili chupava meu pau e colocava entre os seios. Desconfiando que estava preste a gozar Lili se levantou e foi até uma caixa e pegou um lubrificante.
- Agora vou por cima bem gostoso com o cú! Já comeu algum cú já?
- Não Lili, sempre queria comer um cú e nunca consegui!
- Sortudo hein vai comer um cú agora!
Depois de lubrificar meu pau e seu rabinho Lili apontou a cabeça da pica no cuzinho e foi descendo. Exclamei:
- Aaaaaaaaiiiiii...gostoso...
- Gostou do cú né!
- Nossa Lili como está quentinho!
- Arromba meu cú moleque, come esse cú...
Depois do cuzinho ter engolido todo meu pau Lili passou a cavalgar. Ela adorava dar o cuzinho e o escolhido para satisfazer o desejo dela foi eu. Depois de varias posições gozei muito no cuzão dela. Nos trocamos a prometi guardar segredo conforme seu pedido. Comi algumas outras vezes. Sempre que seu marido saia ela já estava me esperando. Depois de um tempo voltaram para sua cidade e infelizmente fiquei sabendo que o Souza deu um tiro na cabeça com a própria arma por causa da Lili que tinha pedido a separação para viver com um mecânico que havia conhecido num curso. Perdi o contato com todos. Fiquei triste pelo ocorrido e não mais arrependido de ter comido a mulher do meu amigo pois ela assediava até conseguir o que queria.

[email protected]
Contato:
é necessário estar logado para enviar uma mensagem ao autor do Conto Erótico. Registe-se, é gratuito.

Comentar


Código de segurança
Actualizar

Caminho:

Últimos Comentários

  • verdadeiramente espectacular......tive q... Mais...
  • Claro que tens de contar mais e todos os... Mais...
  • oi sou casado mais sempre curti cumer ma... Mais...
  • muito obrigada Ana Moreira, não tenhas d... Mais...
  • Adorei estes relatos. Sei muito bem o qu... Mais...
  • Esse conto é uma comédia kklk Mais...
  • ótimo conto..sempre que leio fico puto d... Mais...
  • PARABÉNS eu t/b tive que ter muito traba... Mais...
  • ótimo conto..sempre que leio fico puto d... Mais...
  • Parabéns pelo relato volta p/ ele já que... Mais...

Contos Eróticos Picantes no seu Email

Insira o seu Email:

Patrocinado por FeedBurner